Dados gerais:

  • Dos 2149 peões observados:

Atravessamento da estrada na passadeira - dados gerais

Por género:

  • Masculino – 924 observações:

Atravessamento da estrada na passadeira - sexo masculino

  • Feminino – 1122 observações:

Atravessamento da estrada na passadeira - sexo feminino

  • Crianças – 103 observações:

Atravessamento da estrada na passadeira - crianças

Dos 2.149 peões observados a atravessarem a rua, 43,0% foram homens, 52,2% mulheres e 4,8% crianças. Destas, apenas 5,7% atravessaram a rua sozinhas, tendo as restantes 94,3% atravessado acompanhadas por um adulto. A taxa de atravessamento fora das passadeiras das crianças que atravessaram sozinhas foi superior à das crianças que atravessaram acompanhadas por um adulto – 33,3% contra 19,6%.

Não se notam diferenças substanciais nos níveis de utilização das passadeiras entre homens, mulheres e crianças, registando-se para todos os tipos de peões um pouco mais de 20% a atravessarem fora das passadeiras, a menos de 50 metros.

De salientar, que a percentagem de peões mortos foi a seguinte nos anos de 2012 e 2013: 60,4% de homens, 36,0% de mulheres e 3,6% de crianças até aos 14 anos. Tal significa que, em média, e para a amostra observada, o risco de morte por atropelamento de um homem adulto é cerca do dobro do risco da mulher adulta.

Cedência de passagem na passadeira

Dos 2.052 condutores observados na aproximação de passadeiras onde se encontravam peões a atravessar (em plena passadeira ou a iniciar o atravessamento), 74,6% parou para deixar passar os peões, enquanto 25,4% forçou os peões a pararem ou forçou o atravessamento à frente dos peões com estes já na passadeira a atravessar a faixa de rodagem.