Foram efetuadas 5392 observações, associado a uma margem de erro de 0, 5%. Mais concretamente, a amostra consistiu em 43 (0,8%) condutores de ciclomotores, 44 (0,8%) condutores de motociclos, 5211 (96,6%) condutores de veículos ligeiros e 94 (1,7%) condutores de veículos pesados. A análise global demonstrou que a média da TAS foi 0,04g/l, com um desvio-padrão de 0,15g/l, um mínimo de 0,0g/l e um máximo de 2,31g/l. Verificou-se igualmente que 89,6% não apresentaram álcool no sangue, 4,2% dos condutores apresentaram uma TAS até 0,2 g/l, 4,4% entre 0,2 e 0,5g/l, 0,8% entre 0,5 e 0,8g/l, 0,7% entre 0,8 e 1,2g/l e 0,3% superior a 1,2g/l.No estudo europeu Druid (2011), utilizado como referência para este estudo, a prevalência de alcoolémia foi de 4%.

A média da TAS foi superior nos veículos ligeiros e ciclomotores, comparativamente com os motociclos e pesados. Nos motociclos, ciclomotores e veículos pesados não se verificou nenhuma observação com TAS superior a 0,5g/l, contrariamente ao que se passa nos veículos ligeiros.

     Taxa de álcool no sangue por tipo de veículo
TAS Análise global Ligeiros Motociclos Ciclomotores Pesados
 N % N % N %
0,0 4829 89,6  4666 89,5 40 90,9 38 88,4 85 90,4
]0-0,2[ 228 4,2 222 4,3 2 4,5 2 4,7 2 2,1
[0,2-0,5[ 238 4,4 226 4,3 2 4,5 3 7,0 7 7,4
[0,5-0,8[ 43 0,8 43 0,8 0 0,0 0 0,0 0 0,0
[0,8-1,2[ 36 0,7 36 0,7 0 0,0 0 0,0 0 0,0
≥1,2 18 0,3 18 0,3 0 0,0 0 0,0 0 0,0
Média 0,04 0,04 0,02 0,04 0,02
DP 0,15 0,15 0,08 0,12 0,08
Mín 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0
Máx 2,31 2,31 0,39 0,48 0,45


A TAS não variou significativamente consoante a faixa etária e as diferenças encontradas não são estatisticamente significativas (p*>0,05, apenas indicativo). Nos condutores mais jovens (16 aos 24 anos) verificou-se uma proporção elevada de observações com TAS superior a 0,8mg/dl. Se analisarmos as observações com TAS superior a 1,2g/l, registam-se apenas na faixa etária dos 25 aos 64 anos. 

     Taxa de álcool no sangue, por idade do condutor
TAS (g/l) 16-24 anos 25-34 anos 35-49 anos 50-64 anos > 65 anos Total
 N % N % N %
0,0 557 88,7 1189 89,9 1749 89,8 996 89,2 336 89,6 4827
]0-0,2[ 31 4,9 53 4,0 86 4,4 44 3,9 14 3,7 228
[0,2-0,5[ 24 3,8 56 4,2 81 4,2 55 4,9 21 5,6 237
[0,5-0,8[ 4 0,6 10 0,8 15 0,8 12 1,1 2 0,5 43
[0,8-1,2[ 9 1,4 9 0,7 11 0,6 5 0,4 2 0,5 36
≥1,2 3 0,5 6 0,5 5 0,3 4 0,4 0 0,0 18
Total 628 100,0 1323 100,0 1947 100,0 1116 100,0 375 100,0 5389
Média 0,04 0,04 0,03 0,04 0,03 0,04
DP 0,17 0,16 0,14 0,15 0,12 0,15
Mín 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0
Máx 1,44 1,86 2,31 1,82 1,19 2,31


A média da TAS foi superior em observações realizadas ao fim-de-semana (versus dias úteis). A média da TAS foi superior em observações realizadas ao fim-de-semana (versus dias úteis) . Em dia útil, 90,8% dos condutores apresentaram uma TAS de 0,0g/l, ao fim-de-semana esta proporção foi de 88,2%, diferenças estatisticamente significativas  (p*=0,001, apenas indicativo).

     Taxa de álcool no sangue, por dia da semana
TAS (g/l) Dia útil Fim de Semana Total
 N
0,0 2546 90,8 2283 188,2 4829
]0-0,2[ 121 4,3 107 4,1 228
[0,2-0,5[ 102 3,6 136 5,3 238
[0,5-0,8[ 18 0,6 25 1,0 43
[0,8-1,2[ 11 0,4 25 1,0 36
≥1,2 5 0,2 13 0,5 18
Total 2803 100,0 2589 100,0 5392
Média 0,03 00,5 0,04
DP 0,12 0,17 0,15
Mín 0,0 0,0 0,0
Máx 1,82 2,31 2,31

A média da TAS foi mais elevada nas observações realizadas às 3h da manhã, ao fim-de-semana. As diferenças encontradas foram estatisticamente significativas (p*<0,001, apenas indicativo).

     Taxa de álcool no sangue, por hora das observações (%)
TAS (g/l) Dia útil Fim de Semana Total
2h 10h 14h 18h 22h 3h  11h 15h 19h 23h
0,0 80,8 97,8 88,4 93,7 90,5 75,6 97,3 88,6 91,3 88,0 4829
]0-0,2[ 8,2 1,1 5,0 3,1 5,6 6,3 0,8 4,0 5,5 4,6 228
[0,2-0,5[ 7,7 0,3 5,6 2,3 3,5 11,0 1,2 6,0 2,4 5,4 238
[0,5-0,8[ 0,5 0,5 0,9 0,8 0,5 2,3 0,5 0,8 0,5 0,6 0,843
[0,8-1,2[ 2,2 0,2 0,2 0,0 0,0 3,1 0,2 0,4 0,2 0,8 36
≥1,2 0,7 0,2 0,0 0,2 0,0 1,6 0,0 0,2 0,0 0,6 18
Total 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 5392
Média 0,07 0,01 0,03 0,02 0,02 0,11 0,01 0,03 0,02 0,05 0,04
DP 0,21 0,11 0,09 0,11 0,07 0,28 0,07 0,13 0,08 0,18 0,15
Mín 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0
Máx 1,45 0,81 1,82 1,74 0,64 1,86 0,94 1,42 0,89 2,31 2,31

A média da TAS foi mais elevada em condutores do sexo masculino. O valor máximo da TAS nas mulheres foi 1,12g/l, ao passo que nos homens foi 2,31g/l. Ao passo que 99,2% das mulheres apresentaram TAS inferiores a 0,5g/l, nos homens esta proporção foi apenas de 97,8%, diferenças estatisticamente significativas (p<0,001).

     Taxa de álcool no sangue, por sexo do condutor
TAS (g/l) Feminino Masculino Total
 N
0,0 1388 95,3 3441 87,4 4829
]0-0,2[ 30 2,1 198 5,0 228
[0,2-0,5[ 26 1,8 212 5,4 238
[0,5-0,8[ 6 0,4 37 0,9 43
[0,8-1,2[ 6 0,4 30 0,8 36
≥1,2 0 0,0 18 0,5 18
Total 1456 100,0 3936 100,0 5392
Média 0,02 0,04 0,04
DP 0,09 0,17 0,15
Mín 0,0 0,0 0,0
Máx 1,12 2,31 2,31

A média da TAS foi superior em condutores não residentes em Portugal, mas as diferenças não são estatisticamente significativas (p*>0,05, apenas indicativo). É também nestes indivíduos que se verifica uma proporção mais elevada de condutores com TAS>0,5g/l.

     Taxa de álcool no sangue, por residência do condutor em Portugal
TAS (g/l) Residente Não Residente Total
 N
0,0 4392 89,9 437 86,7 4829
]0-0,2[ 204 4,2 24 4,8 228
[0,2-0,5[ 211 4,3 27 5,4 238
[0,5-0,8[ 37 0,8 6 1,2 43
[0,8-1,2[ 30 0,6 6 1,2 36
≥1,2 14 0,3 4 0,8 18
Total 4888 100,0 504 100,0 5392
Média 0,03 0,06 0,04
DP 0,14 0,20 0,15
Mín 0,0 0,0 0,0
Máx 2,31 1,86 2,31

A análise das observações realizadas em ciclomotores revelou que apenas três condutores registaram uma taxa de alcoolémia superior a 0,2 g/l. Na faixa etária dos 50 aos 64 anos a média da TAS foi ligeiramente superior, devido às observações anteriormente referidas, diferenças não estatisticamente significativas (p*>0,05, apenas indicativo).

     Taxa de álcool no sangue, por idade do condutor
TAS (g/l) 16-24 anos 25-34 anos 35-49 anos 50-64 anos > 65 anos Total
 N % N % N %
0,0 12 100,0 4 80,0 6 85,7 9 75,0 7 100,0 38
]0-0,2[ 0 0,0 1 20,0 1 14,3 0 0,0 0 0,0 2
[0,2-0,5[ 0 0,0 0 0,0 0 0,0 3 25,0 0 0,0 3
Total 12 5 7 12 7 43
Média 0,0 0,02 0,01 0,11 0,0 0,04
DP 0,0 0,04 0,04 0,21 0,0 0,12
Mín 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0
Máx 0,0 0,1 0,1 0,48 0,0 0,48

As observações anteriormente referidas registaram-se em dia útil, o que se traduziu num valor médio de TAS superior para os dias úteis. Todas as observações realizadas ao fim de semana registaram uma TAS inferior a 0,2g/l (p*>0,05, apenas indicativo).

     Taxa de álcool no sangue, por dia da semana
TAS (g/l) Dia útil Fim de Semana Total
 N
0,0 28 87,5 10 90,9 38
]0-0,2[ 1 3,1 1 9,1 2
[0,2-0,5[ 3 9,4 0 0,0 3
Total 32 100,0 11 100,0 43
Média 0,0 0,01 0,04
DP 0,14 0,03 0,12
Mín 0,0 0,0 0,0
Máx 0,48 0,1 0,48

As diferenças encontradas em função da hora do dia não foram estatisticamente significativas (p*>0,05, apenas indicativo). Não estão descritas observações em período noturno (entre as 19h e as 10h) por não se terem encontrado ciclomotores em circulação.

     Taxa de álcool no sangue, por hora das observações (%)
TAS (g/l) Dia útil Fim de Semana Total
2h 10h 14h 18h 22h 3h  11h 15h 19h 23h
0,0 N/A 87,5 83,3 100,0 N/A N/A 100,0 66,7 N/A N/A 38
]0-0,2[ N/A 12,5 0,0 0,0 N/A N/A 0,0 33,3 N/A N/A 2
[0,2-0,5[3 N/A 0,0 16,7 0,0 N/A N/A 0,0 0,0 N/A N/A 3
Total N/A 8 18 6 N/A N/A 8 3 N/A N/A 43
Média N/A 0,0 00,02 0,00 N/A N/A 0,0 0,03 N/A N/A 0,04
DP N/A 0,00 0,09 0,00 N/A N/A 0,00 0,06 N/A N/A 0,12
Mín N/A 0,0 0,0 0,0 N/A N/A 0,0 0,0 N/A N/A 0,0
Máx N/A 0,0 0,4 0,0 N/A N/A 0,0 0,1 N/A N/A 0,48

 Foram apenas encontrados homens com uma TAS>0,0g/l, pelo que a média foi ligeiramente superior para o sexo masculino (p*>0,05, apenas indicativo).

     Taxa de álcool no sangue, por sexo do condutor
TAS (g/l) Feminino Masculino Total
 N
0,0 3 100,0 35 87,5 38
]0-0,2[ 0 0,0 2 5,0 2
[0,2-0,5[ 0 0,0 3 7,5 3
Total 3 100,0 40 100,0 43
Média 0,0 0,04 0,04
DP 0,0 0,12 0,12
Mín 0,0 0,0 0,0
Máx 0,0 0,48 0,48 

O valor médio da TAS foi mais elevado para condutores não residentes em Portugal, mas não se verificou significância estatística nas diferenças encontradas (p*>0,05, apenas indicativo).

     Taxa de álcool no sangue, por residência do condutor em Portugal
TAS (g/l) Residente Não Residente Total
 N
0,0 34 91,9 4 66,7 38
]0-0,2[ 1 2,7 1 16,7 2
[0,2-0,5[3 2 5,4 1 16,7 3
Total 37 100,0 6 100,0 43
Média 0,03 0,08 0,04
DP 0,11 0,160 0,12
Mín 0,0 0,0 0,0
Máx 0,48 0,4 0,48

Relativamente às observações realizadas em motociclos,  foi na faixa etária dos 25 aos 64 anos que se verificou uma TAS média superior  (p*>0,05, apenas indicativo). Nenhum condutor entre os 16 e 24 anos e com mais de 65 anos tinha álcool no sangue durante a condução.

     Taxa de álcool no sangue, por idade do condutor
TAS (g/l) 16-24 anos 25-34 anos 35-49 anos 50-64 anos > 65 anos Total
 N % N % N %
0,0 4 100,0 11 91,7 16 88,9 8 88,9 1 100,0 40
]0-0,2[ 0 0,0 1 8,3 1 5,6 0 0,0 0 0,0 2
[0,2-0,5[ 0 0,0 0 0,0 1 5,6 1 11,1 0 0,0 2
Total 4 100,0 12 100,0 18 100,0 9 100,0 1 100,0 44
Média 0,0 0,01 0,03 0,36 0,0 0,02
DP 0,0 0,04 0,10 0,11 0,0 0,08
Mín 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0
Máx 0,0 0,15 0,39 0,32 0,0 0,39

A análise segundo o dia da semana demonstrou que em dia útil a TAS média foi ligeiramente superior (p*>0,05, sem evidência estatística da diferença, apenas indicativo).

     Taxa de álcool no sangue, por dia da semana
TAS (g/l) Dia útil Fim de Semana Total
 N
0,0 22 88,0 18 94,7 40
]0-0,2[ 2 8,0 0 0,0 2
[0,2-0,5[ 1 4,0 1 5,3 2
Total 25 100,0 19 100,0 44
Média 0,03 0,02 0,02
DP 0,07 0,09 0,08
Mín 0,0 0,0 0,0
Máx 0,32 0,39 0,39

A análise segundo a hora das observações demonstrou que às 18h a TAS média foi ligeiramente superior (p*>0,05, sem evidência estatística da diferença, apenas indicativo).

     Taxa de álcool no sangue, por hora das observações (%)
TAS (g/l) Dia útil Fim de Semana Total
2h 10h 14h 18h 22h 3h  11h 15h 19h 23h
0,0 100,0 100,0 80,0 80,0 85,7 N/A 87,5 100,0 100,0 100,0 40
]0-0,2[ 0,0 0,0 20,0 0,0 14,3 N/A 0,0 0,0 0,0 0,0 2
[0,2-0,5[ 0,0 0,0 0,0 20,0 0,0 N/A 14,3 0,0 0,0 0,0 2
Total 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 N/A 100,0 0,0 0,0 100,0 44
Média 0,0 0,0 0,03 0,06 0,02 N/A 0,05 0,0 0,0 0,0 0,02
DP 0,0 0,0 0,07 0,14 0,57 N/A 0,15 0,0 0,0 0,0 0,08
Mín 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 N/A 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0
Máx 0,0 0,0 0,16 0,32 0,15 N/A 0,39 0,0 0,0 0,0 0,39

A análise segundo o sexo do condutor demonstrou que a TAS média foi superior nos homens (p*>0,05, sem evidência estatística da diferença, apenas indicativo).

     Taxa de álcool no sangue, por sexo do condutor
TAS (g/l) Feminino Masculino Total
 N
0,0 2 100,0 38 90,5 40
]0-0,2[ 0 0,0 2 4,8 2
[0,2-0,5[ 0 0,0 2 4,8 42
Total 2 100,0 42 100,0 44
Média 0,0 0,02 0,02
DP 0,0 0,08 0,08
Mín 0,0 0,0 0,0
Máx 0,0 0,39 0,39

A análise segundo a residência do condutor demonstrou que a TAS média foi superior nos condutores residentes em Portugal (p*>0,05, sem evidência estatística da diferença, apenas indicativo).

     Taxa de álcool no sangue, por residência do condutor em Portugal
TAS (g/l) Residente Não Residente Total
 N
0,0 38 90,5 2 100,0 40
]0-0,2[ 2 4,8 0 0,0 2
[0,2-0,5[3 2 4,8 0 0,0 2
Total 42 100,0 2 100,0 44
Média 0,02 0,00 0,02
DP 0,08 0,00 0,08
Mín 0,0 0,0 0,0
Máx 0,39 0,0 0,39

 

A análise das observações realizadas em veículos ligeiros demonstrou que a média da TAS é semelhante em cada uma das faixas etárias, não existindo diferenças estatisticamente significativas (p*>0,05, apenas indicativo). Não se encontrava descrita a idade de 3 condutores.

     Taxa de álcool no sangue, por idade do condutor
TAS (g/l) 16-24 anos 25-34 anos 35-49 anos 50-64 anos > 65 anos Total
 N % N % N %
0,0 540 88,4 1161 89,9 1680 89,7 956 89,5 327 89,3 4664
]0-0,2[ 31 5,1 50 3,9 83 4,4 44 4,1 14 3,8 222
[0,2-0,5[ 24 3,9 55 4,3 78 4,2 47 4,4 21 5,7 225
[0,5-0,8[ 4 0,7 10 0,8 15 0,8 12 1,1 2 0,5 43
[0,8-1,2[ 9 1,5 9 0,7 11 0,6 5 0,5 2 0,5 36
≥1,2 3 0,5 6 0,5 5 0,3 4 0,4 0 0,0 18
Total 611 100,0 1291 100,0 1872 100,0 1068 100,0 366 100,0 5208
Média 0,04 0,04 0,03 0,04 0,03 0,04
DP 0,17 0,16 0,14 0,15 0,12 0,15
Mín 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0
Máx 1,44 1,86 2,31 1,82 1,19 2,31

A análise segundo o dia da semana demonstrou que a média da TAS foi superior ao fim de semana, diferenças estatisticamente significativas (p<0,001).

     Taxa de álcool no sangue, por dia da semana
TAS (g/l) Dia útil Fim de Semana Total
 N
0,0 2438 90,9 2228 88,1 4666
]0-0,2[ 117 4,4 105 4,2 222
[0,2-0,5[ 92 3,4 134 5,3 226
[0,5-0,8[ 18 0,7 25 1,0 43
[0,8-1,2[ 11 0,4 25 1,0 36
≥1,2 5 0,2 13 0,5 18
Total 2681 100,0 2530 100,0 5211
Média 0,03 0,05 0,04
DP 0,12 0,18 0,15
Mín 0,0 0,0 0,0
Máx 1,82 2,31 2,31

A análise segundo a hora do dia demonstrou que a média da TAS foi muito superior nas medições realizadas durante a noite em dia de semana (2h) e ao fim-de-semana (3h). As diferenças encontradas consoante a hora do dia foram estatisticamente significativas (p*<0,001, apenas indicativo).

     Taxa de álcool no sangue, por hora das observações (%)
TAS (g/l) Dia útil Fim de Semana Total
2h 10h 14h 18h 22h 3h  11h 15h 19h 23h
0,0 80,3 98,0 89,1 93,7 90,6 75,5 97,3 88,7 91,4 88,0 4666
]0-0,2[ 8,4 1,0 5,0 3,2 5,5 6,3 0,9 4,0 5,4 4,6 422
[0,2-0,5[ 7,9 0,2 4,8 2,2 3,4 11,1 1,1 6,0 2,4 5,4 226
[0,5-0,8[ 0,5 0,5 1,0 0,8 0,5 2,4 0,5 0,8 0,5 0,6 226
[0,8-1,2[ 2,2 0,2 0,0 0,0 0,0 3,1 0,2 0,4 0,2 0,8 36
≥1,2 0,7 0,2 0,0 0,2 0,0 1,6 0,0 0,2 0,0 0,6 18
Total 406 598 606 507 564 552 556 504 409 499 5211
Média 0,07 0,01 0,03 0,02 0,02 0,12 0,01 0,04 0,02 0,05 0,04
DP 0,21 0,01 0,10 0,11 0,07 0,28 0,07 0,13 0,09 0,19 0,15
Mín 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0
Máx 1,45 1,8 0,81 1,74 0,64 1,86 0,94 1,42 0,89 2,31 2,31

O valor médio da TAS foi mais alto para os condutores do sexo masculino. Foi apenas neste grupo de condutores que se verificaram observações de TAS superiores ou iguais a 1,2g/l, diferenças estatisticamente significativas (p<0,001).

     Taxa de álcool no sangue, por sexo do condutor
TAS (g/l) Feminino Masculino Total
 N
0,0 1381 95,3 3285 87,3 4666
]0-0,2[ 30 2,1 192 5,1 222
[0,2-0,5[ 26 1,8 200 5,3 226
[0,5-0,8[ 6 0,4 37 1,0 43
[0,8-1,2[ 6 0,4 30 0,8 36
≥1,2 0 0,0 18 0,5 18
Total 1449 100,0 3762 100,0 5211
Média 0,02 0,05 0,04
DP 0,09 0,17 0,15
Mín 0,0 0,0 0,0
Máx 1,12 2,31 2,31

A média da TAS foi mais alta em condutores não residentes em Portugal, apesar do valor máximo ter-se registado num condutor residente. As diferenças não são estatisticamente significativas (p*>0,05, apenas indicativo). Foi também nestes indivíduos que se verificou uma proporção mais elevada de TAS>0,5g/l.

     Taxa de álcool no sangue, por residência do condutor em Portugal
TAS (g/l) Residente Não Residente Total
 N
0,0 4238 89,8 428 86,8 4666
]0-0,2[ 199 4,2 23 4,7 222
[0,2-0,5[ 200 4,2 26 5,3 226
[0,5-0,8[  37 0,8  1,2  43 
[0,8-1,2[   30  0,6 1,2  36 
≥ 1,2  14  0,3   0,8 18 
Total 4718 100,0 493 100,0 5211
Média 0,03
0,06
0,04
DP 0,14
0,20
0,15
Mín 0,0
0,0
0,0
Máx 2,31
1,86
2,31

A análise das observações realizadas em veículos pesados revelou que nenhum condutor foi encontrado com uma taxa de alcoolemia superior a 0,45g/l (p*>0,05, apenas indicativo). Na faixa etária dos 35 aos 49 anos a média da TAS foi ligeiramente superior, mas o valor máximo registou-se na faixa etária dos 50 aos 64 anos.

 Taxa de álcool no sangue, por idade do condutor
TAS (g/l) 16-24 anos 25-34 anos 35-49 anos 50-64 anos > 65 anos Total
 N % N % N %
0,0 1 100,0 13 86,7 47 94,0 23 85,2 1 100,0 85
]0-0,2[ 0 0,0 1 6,7 1 2,0 0 0,0 0 0,0 2
[0,2-0,5[ 0 0,0 1 6,7 2 4,0 4 14,8 0 0,0 7
Total 1 100,0 15 100,0 50 100,0 27 100,0 1 100,0 94
Média 0,0
0,03
0,13
0,04
0,00
0,02
DP 0,0
0,08
0,06
0,11
0,00
0,08
Mín 0,0
0,0
0,0
0,0
0,0
0,0
Máx 0,0
0,25
0,37
0,45
0,0
0,45

A análise segundo o dia da semana demonstrou que a média da TAS foi superior nos dias úteis. (p*>0,05, apenas indicativo).

     Taxa de álcool no sangue, por dia da semana
TAS (g/l) Dia útil Fim de Semana Total
 N
0,0 58 89,2 27 93,1 85
]0-0,2[ 1 1,5 1 3,4 2
[0,2-0,5[ 6 9,2 1 3,4 7
Total 65 100,0 29 100,0 94
Média 0,03 0,01 0,02
DP 0,09 0,05 0,08
Mín 0,0 0,0 0,0
Máx 0,45 0,30 0,45

A média da TAS foi ligeiramente mais alta para as observações realizadas às 14h, após o horário habitual de almoço, em dia útil. As diferenças encontradas consoante a hora do dia foram estatisticamente significativas (p*=0,001, apenas indicativo).

     Taxa de álcool no sangue, por hora das observações (%)
TAS (g/l) Dia útil Fim de Semana Total
2h 10h 14h 18h 22h 3h  11h 15h 19h 23h
0,0 100,0 96,9 68,8 100,0 80,0 100,0 100,0 80,0 50,0 N/A 85
]0-0,2[ 0,0 0,0 6,2 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 50,0 N/A 2
[0,2-0,5[ 0,0 3,1 25,0 0,0 20,0 0,0 0,0 20,0 0,0 N/A 7
Total 9 32 16 3 5 2 20 5 2 N/A 94
Média 0,0 0,01 0,01 0,00 0,04 0,0 0,00 0,05 0,01 N/A 0,02
DP 0,0 0,04 0,16 0,00 0,09 0,0 0,00 0,11 0,01 N/A 0,08
Mín 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 N/A 0,0
Máx 0,0 0,25 0,45 0,0 0,21 0,0 0,0 0,28 0,02 N/A 0,45


A média da TAS foi mais alta nos condutores do sexo masculino (p*=0,897, apenas indicativo). Nas duas observações realizadas em mulheres a TAS foi 0,0g/l.

     Taxa de álcool no sangue, por sexo do condutor
TAS (g/l) Feminino Masculino Total
 N
0,0 2 100,0 83 90,2 85
]0-0,2[ 0 0,0 2 0,0 2
[0,2-0,5[ 0 0,0 7 0,0 7
Total 2 100,0 92 100,0 94
Média 0,0 0,03 0,02
DP 0,0 0,08 0,08
Mín 0,0 0,0 0,0
Máx 0,0 0,45 0,45


A análise segundo a residência do condutor demonstrou que a média da TAS é mais alta para condutores residentes em Portugal.Todos os condutores não residentes não tinham álcool no sangue. Não existe evidência estatistica da diferença (p*>0,05, apenas indicativo).

     Taxa de álcool no sangue, por residência do condutor em Portugal
TAS (g/l) Residente Não Residente Total
 N
0,0 82 90,1 3 100,0 85
]0-0,2[ 2 2,2 0 0,0 2
[0,2-0,5[ 7 7,7 0 0,0 7
Total 91 100,0 3 100,0 94
Média 0,03 0,00 0,02
DP 0,08 0,00 0,08
Mín 0,0 0,0 0,0
Máx 0,45 0,0 0,45