Foram observados 7626 condutores (informação sobre o do cinto de segurança pelo condutor omissa em 7 observações) e apurou-se que 3,6% viajavam sem o cinto de segurança. A percentagem de condutores que não utilizou o cinto de segurança foi 3,9% nos homens e 2,9% nas mulheres, estatisticamente diferentes (p=0,043). A informação sobre o sexo foi omissa em 11 observações. A probabilidade de utilização do cinto de segurança nas mulheres é 35% superior aos homens (p= 0,038).

 Uso do cinto de segurança pelo condutor, por sexo
Sexo Com cinto de segurança Sem cinto de segurança Total
Homem n 5347  216  5563
% 96,1  3,9  100,0
Mulher n 2006  60  2066
% 97,1  2,9  100,0
Total n 7353 276  7629
% 96,4  3,6  100,0


 Apurou-se que 3,3% dos condutores em autoestrada viajavam sem cinto de segurança, 4,2% em estradas dentro das localidades e 3,3% em estradas fora das localidades, não sendo estatisticamente diferentes (p=0,152).

  Uso do cinto de segurança pelo condutor, por tipo de estrada
  Autoestradas Estradas dentro das localidades Estradas fora das localidades Total
Com cinto de segurança 2462 2729 2273 7350
Sem cinto de segurança 80 118 78 276
% sem cinto de segurança 3,3 4,1 3,3 3,6
Total 2442 2847 2351 7626


 Relativamente ao uso do cinto de segurança pelos passageiros, apurou-se que o seu uso pelos passageiros da frente é inferior ao do condutor. Nos lugares da frente (L2 e L3) 95,7% dos passageiros usaram o cinto de segurança, nos lugares de trás (L4 a L9) 73,4% dos passageiros (p<0,001). Todas as crianças sentadas nos lugares da frente tinham cinto de segurança colocado; nos lugares de trás, 24 (14,0%) não tinham cinto de segurança. Encontrou-se 1 (5,6%) criança sem sistema de retenção em L3.

 Uso do cinto de segurança e sistema de retenção (crianças) nos passageiros da frente por sexo
Sexo Com cinto de segurança Sem cinto de segurança Total Com sistema
de
retenção crianças
Sem sistema
de
retenção crianças
N % N %
Homem 852 60 6,6 912 N/A N/A N/A
Mulher 1555 54 3,4 1609 N/A N/A N/A
Criança 60 0 0,0 60 17 1 5,6
Total 2467 113 4,4 2586 17 1 5,6


 A análise por tipo de estrada demonstra que 4,6% dos passageiros da frente não utilizaram o cinto de segurança em estradas fora das localidades, 4,4% em estradas dentro das localidades e 3,9% em autoestradas, não existindo evidência estatística da diferença entre tipos de estrada (p= 0,708).

  Uso do cinto de segurança e sistema de retenção (crianças) pelos passageiros da frente por tipo de estrada
  Autoestradas Estradas dentro das localidades Estradas fora das localidades Total (N)
% Com cinto de segurança 96,1 95,6 95,4 2459
% Sem cinto de segurança 3,9 4,4 4,6 110
% Com sistema de retenção para crianças 80,0 100,0 100,0 17
% Sem sistema de retenção para crianças 20,0 100,0 0 1


 Relativamente aos passageiros de trás (L4 a L9), 26,6% não colocaram o cinto de segurança, 33,7% das mulheres, 26,6% dos homens e 14% das crianças. Foram encontradas 2 (1,7%) crianças sem sistema de retenção. Existe evidência estatística da diferença entre sexos (p<0,001).

 Uso do cinto de segurança e sistema de retenção (crianças) nos passageiros da frente por sexo
Sexo  Com cinto de segurança Sem cinto de segurança Total Com sistema
de
retenção crianças
Sem sistema
de
retenção crianças
N % N %
Homem 146 53 26,6 199 N/A N/A N/A
Mulher 201 102 33,7 303 N/A N/A N/A
Criança 147 24 14,0 171 116 2 1,7
Total 494 179 26,6 673 116 2 1,7


 Relativamente à distribuição do uso do cinto de segurança pelos passageiros de trás por tipo de estrada, 15% não o colocaram em autoestrada, 31% em estradas dentro das localidades e 36,8% em estradas fora das localidades, existindo evidência estatística da diferença (p<0,001).

  Uso de cinto segurança e sistema de retenção (crianças) pelos passageiros de trás por tipo de estrada
  Autoestradas Estradas dentro das localidades Estradas fora das localidades Total (N)
% Com cinto de segurança 85,0 69,0 63,2 496
% Sem cinto de segurança 15,0 31,0 36,8 179
% Com sistema de retenção para crianças 94,1 100,0 100,0 116
% Sem sistema de retenção para crianças 5,9 0,0 0 2


 Na tabela seguinte apresenta-se um resumo dos resultados apresentados nas tabelas anteriores. Verifica-se assim que a utilização do cinto de segurança é francamente inferior nos passageiros dos lugares da frente em relação aos passageiros dos lugares de trás.

  Uso de cinto segurança e sistema de retenção (crianças), condutor, passageiros da frente e passageiros de trás
  Condutor Passageiros frente
(L2, L3)
Passageiros trás
(L4 a L9)
% Com cinto de segurança 96,4 95,7 73,4
% Sem cinto de segurança 3,6 4,3 26,6
% Com sistema de retenção para crianças N/A 94,4 98,3
% Sem sistema de retenção para crianças N/A 5,6 1,7


 L2 é um lugar que não é frequentemente ocupado por crianças. A percentagem global de passageiros que não colocou o cinto de segurança foi 22,2%, 25,0% nos homens e 22,2% nas mulheres, não existindo evidência estatística da diferença entre sexos (p*= 0,852, apenas indicativo).

 Uso de cinto segurança e sistema de retenção (crianças): L2
Sexo  Com cinto de segurança Sem cinto de segurança Total
N %
Homem 6 2 25,0 8
Mulher 7 2 22,2 9
Criança 1 0 0 1
Total 14 4 22,2 18


 Em L3 a percentagem global de passageiros que não colocou o cinto de segurança foi 4,2%, 6,2% nos homens e 3,1% nas mulheres, estatisticamente diferentes (p*<0,001, apenas indicativo). Relativamente às crianças, todas tinham cinto de segurança colocado (n=44) e 1 (5,6%) não tinha sistema de retenção.

 Uso de cinto segurança e sistema de retenção (crianças): L3
Sexo  Com cinto de segurança Sem cinto de segurança Total Com sistema
de
retenção crianças
Sem sistema
de
retenção crianças
Total
N % N %
Homem 850 56 6,2 906 N/A N/A N/A N/A
Mulher 1548 50 3,1 1598 N/A N/A N/A N/A
Criança 44 0 0 44 17 1 5,6 18
Total 2442 106 4,2 2548 17 1 5,6 18

Em L4 25,7% dos passageiros não tinham o cinto de segurança colocado. A percentagem de passageiros que não utilizou o cinto de segurança foi 27,5% nos homens e 32,9% nas mulheres, estatisticamente diferentes (p*<0,001, apenas indicativo). Relativamente às crianças, 5 (9,6%) não tinham o cinto de segurança e 1 (3,6%) não tinha sistema de retenção.

 Uso de cinto segurança e sistema de retenção (crianças): L4
Sexo  Com cinto de segurança Sem cinto de segurança Total Com sistema
de
retenção crianças
Sem sistema
de
retenção crianças
Total
N % N %
Homem 58 22 27,5 80 N/A N/A N/A N/A
Mulher 63 31 32,9 94 N/A N/A N/A N/A
Criança 47 5 9,6 52 27 1 3,6 28
Total 168 58 25,7 226 27 1 3,6 28


 Em L5 54,0% dos passageiros não tinham o cinto de segurança colocado. A percentagem de passageiros que não utilizou o cinto de segurança foi 20,0% nos homens e 58,3% nas mulheres, estatisticamente diferentes (p*<0,001, apenas indicativo). Relativamente às crianças, a maioria (68,7%) não tinha cinto de segurança colocado, todas tinham sistema de retenção.

 Uso de cinto segurança e sistema de retenção (crianças): L5
Sexo  Com cinto de segurança Sem cinto de segurança Total Com sistema
de
retenção crianças
N % N %
Homem 8 2 20,0 10 N/A N/A
Mulher 10 14 58,3 24 N/A N/A
Criança 5 11 68,7 16 10 100,0
Total 23 27 54,0 50 10 100,0


 Em L6 22,7% dos passageiros não colocaram o cinto de segurança. A percentagem de passageiros que não utilizou o cinto de segurança foi 25,5% nos homens e 29,4% nas mulheres, estatisticamente diferentes (p*<0,001, apenas indicativo). Relativamente às crianças, 8 (7,8%) não tinham o cinto de segurança colocado, 1 (1,3%) não tinha sistema de retenção.

 Uso de cinto segurança e sistema de retenção (crianças): L6
Sexo  Com cinto de segurança Sem cinto de segurança Total Com sistema
de
retenção crianças
Sem sistema
de
retenção crianças
Total
N % N %
Homem 79 8 7,8 102 N/A N/A N/A N/A
Mulher 127 53 29,4 180 N/A N/A N/A N/A
Criança 94 8 7,8 102 79 1 1,3 80
Total 300 88 22,7 388 79 1 1,3 80


 Apurou-se que em L7 os homens e mulheres observados (n=3) não colocaram o cinto de segurança. Relativamente às crianças, 1 (100%) levava o cinto de segurança. Não existe evidência estatística da diferença entre sexos (p*=0,135, apenas indicativo).

 Uso de cinto segurança: L7
Sexo Com cinto
de segurança 
Sem cinto
de segurança
Total
 N
Homem 0 1 100,0 1
Mulher 0 2 100,0 2
Criança 1 0 0,0 1
Total 75,0  4


Em L8 foram observados 2 passageiros, 1 homem e 1 mulher, em que 1 não colocou o cinto de segurança. Não existe evidência estatística da diferença entre sexos (p* =0,157, apenas indicativo).

 Uso de cinto segurança: L8
Sexo Com cinto
de segurança 
Sem cinto
de segurança
Total
 N
Homem 1 0 0,0 1
Mulher 0 1 100,0 1
Total 1 1 50,0 2

Em L9 foram observados 3 passageiros, dois não colocaram o cinto de segurança. Não existe evidência estatística da diferença entre sexos (p*=0,386, apenas indicativo).

 Uso de cinto segurança: L9
Sexo Com cinto
de segurança 
Sem cinto
de segurança
Total
 N
Homem 0 1 100,0 1
Mulher 1 1 50,0 2
Total 1 2 66,7 3

Foram observados 43 (0,8%) ciclomotores, 44 (0,8%) motociclos, 5211 (96,6%) ligeiros e 94 (1,7%) pesados. Em 15,2% das observações a criança não usava sistema de retenção; das crianças que tinham sistema de retenção, 2,5% não tinham sistema de retenção adequado. Assim, nas 1205 observações, 17,4% das crianças não tinham sistema de retenção ou não usavam sistema de retenção adequado à sua idade e peso.

 Uso de sistema de retenção e sua adequação
Uso de sistema de retenção Uso de sistema de retenção adequado
Sim 1022 996
Não N 183 26
% 15,2 2,5
Total 1205 1022


A análise do uso de sistema de retenção por idade demonstra que existe uma tendência para o aumento da proporção de individuos que não usavam sistema de retenção com o aumento da idade. Em crianças até aos 2 anos, 100% usavam sistema de retenção; aos 7 anos 7,3% e aos 11 anos 67,7% não usavam sistema de retenção. Em relação ao uso de sistema de retenção adequado, verifica-se a trajetória contrária entre os 5 os 11 anos; aos 5 anos 7,4% das crianças não tinham sistema de retenção adequado; aos 11 anos todas usavam cinto de segurança.

 Uso de sistema de retenção e a adequação do sistema de retenção, por idade
  Não usava de sistema de retenção Não usava sistema de retenção adequado
N % Total N % Total
< 1 ano 0 0,0 38 0 0,0 38
1 ano 0 0,0 58 1 1,7 58
2 anos 1 1,2 82 0 0,0 81
3 anos 1 1,0 99 1 1,0 98
4 anos 5 3,7 134 2 1,6 129
5 anos 3 2,7 111 8 7,4 108
6 anos 7 5,3 133 8 6,3 126
7 anos 9 7,3 123 4 3,5 114
8 anos 11 9,5 116 2 1,9 105
9 anos 18 18,6 97 0 0,0 79
10 anos 65 53,7 121 0 0,0 56
11 anos 63 67,7 93 0 0,0 30
Total 183 15,2 1205 26 2,5 1022
p* <0,001 0,004

Relativamente ao lugar ocupado pela criança no veículo, verificou-se que a maioria ocupa o lugar 6, seguido pelo lugar 4, lugar 3 e lugar 5, independentemente do grau de parentesco com o condutor. Não se encontra descrito o lugar em 2 veiculos. Os veiculos eram maioritariamente conduzidos pela mãe (56,9%) e pelo pai da criança (30,6%).

 Lugar do sistema de retenção e grau de parentesco
  L3 L4 L5 L6 L9 Total
N % N % N % N % N %
Mãe 57 8,3 207 30,2 15 2,2 406 59,3 0 0,0 685
Pai 36 9,8 111 30,2 8 2,4 210 57,1 2 0,5 367
Avó 5 11,6 13 30,2 2 4,6 23 53,5 0 0,0 43
Avô 7 12,2 18 31,6 0 0,0 32 56,1 0 0,0 57
Profissional 0 0,0 5 33,3 2 13,3 8 53,3 0 0,0 15
Outro 3 8,3 9 25,0 4 11,1 20 55,5 0 0,0 36
Total 108 8,9 363 30,1 31 2,6 699 58,0 2 0,2 1203


Relativamente ao grau de parentesco do condutor e o uso ou de sistema de retenção na criança, verificou-se que as mães parecem ser as mais cumpridoras (p*=0,001, apenas indicativo). É significativa a proporção de crianças que não utilizava sistema de retenção quando transportadas por profissionais. A probabilidade de uma criança ser transportada sem sistema de retenção pela mãe é 34,4% inferior do que pelo pai (p*=0,001, apenas indicativo), 84,0% inferior do que por um profissional (p*=0,001, apenas indicativo) e 58,1% inferior em relação a outro grau de parentesco (tio/tia/amigo/amiga).

 Uso e adequabilidade do sistema de retenção
  Não usava de sistema de retenção Não usava sistema de retenção adequado
N % Total N % Total
Pai 64 17,3 369 9 2,9 305
Mãe 84 12,3 685 12 2,0 601
Avó 9 20,9 43 1 2,9 34
Avô 10 17,5 57 2 4,2 47
Profissional 7 46,7 15 0 0,0 8
Outro 9 25,0 36 2 7,4 27
Total 183 15,2 1205 25 2,5 1022

Relativamente ao lugar ocupado pela criança no veículo e o uso de sistema de retenção, verificou-se que 50,0% não o utilizavam em L3 e 59,4% no lugar 5 (p*<0,001, apenas indicativo). Uma proporção bastante inferior não o utilizava em L4 e L6 e todas (100%) utilizavam em L9. Em relação à adequabilidade do sistema de retenção consoante o lugar, as diferenças não são estatisticamente significativas (p*>0,05, apenas indicativo). Não se encontra descrito o lugar onde se sentaram 2 crianças.

 Uso e adequabilidade do sistema de retenção, por lugar
  Não usava de sistema de retenção Não usava sistema de retenção adequado
N % Total N % Total
L3 54 50,0 108 2 3,7 54
L4 35 9,6 363 8 2,4 328
L5 19 61,3 31 0 0,0 13
L6 74 10,6 699 16 2,6 625
L9 0 0,0 2 0 0 2
À frente (l3) 54 50,0 108 2 3,7 54
Atrás (l4-L9) 128 11,7 1095 24 2,5 968
Total 182 15,1 1203 26 2,5 1022

 

 Uso e adequabilidade do sistema de retenção, por lugar
  Não usava de sistema de retenção Não usava sistema de retenção adequado
N % Total Idade N % Total Idade
Min. Máx. Total Min. Máx. Total
À frente (l3) 54 50,0 108 4 11 9,7 2 3,7 54 1 4 2,5
Atrás (l4-L9) 128 11,7 1095 2 11 9,4 24 2,5 968 3 8 5,7
Total 182 15,1 1203 2 11 9,5 26 2,5 1022 1 8 5,5

Em relação à posição da cadeira e a idade da criança verificou-se que a maioria foi transportada de frente para o trânsito, excepto as de idade inferior a 1 ano. No lugar à frente, a maioria foi transportada de costas para o trânsito, no lugar atrás a maioria foi transportada de frente para o trânsito. Em crianças de idade inferior a 1 ano ou com 2 anos, não foi estatisticamente significativa a diferença entre o lugar onde a criança está sentada e a posição da cadeira (p*>0,05, apenas indicativo). Para crianças com idade entre 1 e 2 anos, a diferença foi estatisticamente significativa (p<0,001). A probabilidade de uma criança estar de costas para o trânsito no lugar 3 é 14% superior em relação ao lugar 4 e 29% superior em relação ao lugar 6 (p<0,001).

 Posição da cadeira e idade da criança
  < 1 ano 1 ano 2 anos
N % Total N % Total N % Total
Frente para o trânsito 13 34,2 38 41 70,7 58 76 93,8 81
Costas para o trânsito 25 65,8 38 17 29,3 58 5 6,2 81
Frente para o trânsito, lugar à frente (L3) 0 0,0 6 2 22,2 9 2 66,7 3
Costas para o trânsito, lugar à frente (L3) 6 100,0 6 7 77,8 9 1 33,3 3
Frente para o trânsito, lugar atrás (L4-L9) 13 40,6 32 39 79,6 49 74 94,9 78
Costas para o trânsito, lugar atrás (L4-L9) 19 59,4 32 10 20,4 49 4 5,1 78


 Em relação ao uso do cinto de segurança pelo condutor e a sua relação de parentesco com a criança, os mais cumpridores foram as “avós”, os “profissionais” e “outros”, apresentando taxas de utilização de 100,0%. As diferenças não foram estatisticamente significativas (p*>0,05, apenas indicativo).

 Uso do cinto de segurança pelo condutor e relação de parentesco com a criança
  Com cinto de segurança Sem cinto de segurança Total
N % N %
Pai 672 98,1 13 1,9 685
Mãe 355 96,2 14 3,8 369
Avó 43 100,0 0 0,0 43
Avô 55 96,5 2 3,5 57
Profissional 15 100,0 0 0,0 15
Outro 36 100,0 0 0,0 36
Total 1176 97,6 29 2,4 1205

Foram observados 1618 passageiros, com uma média de 30 pessoas por autocarro, um mínimo de 4, um máximo de 48 e associado a uma grande variação de ocupação (desvio padrão de 15). Destes 1618 passageiros, 657 (40.6%) eram elementos do sexo masculino, 902 (55.8%) do sexo feminino e 59 (3.6%) crianças.

A percentagem global do uso de sistemas de retenção foi de 22.1%. A percentagem de homens que utilizou sistemas de retenção foi de 16.3% enquanto nas mulheres foi de 24.3%. Nas crianças esta percentagem já mostrou uma grandeza diferente com cerca de 54.3% a usar sistemas de retenção, mas ainda assim preocupante em termos de saúde pública.

Interessa também referir que a percentagem do uso de sistemas de retenção dentro de cada um dos autocarros apresentou uma média de 24.4%, com uma mínima de 0%, uma máxima de 85.7% e um desvio-padrão de 16%. Note-se que apenas 2 autocarros ultrapassaram os 50% e no autocarro onde se verificou a maior percentagem (85.7%), para além dos dísticos a aconselhar o uso dos sistemas, o próprio o motorista também o referiu por diversas vezes.

 Utilização de sistemas de retenção em pesados
Homens  Mulheres Crianças
Com cinto Sem cinto Total Com cinto Sem cinto Total Com cinto Sem cinto Total
N 107  550  657  219  683  902  32 27 59
% 16,3 83,7  100,0  24,3  75,7  100,0  54,3 45,7 100,0